Praias de Maricá e Niterói recebem reforço de 160 Bombeiros

(Foto :: Arquivo | Lei Seca Maricá)

(Foto :: Arquivo | Lei Seca Maricá)

Visando garantir maior segurança dos banhistas de todo o Estado, o Corpo de Bombeiros iniciou a Operação Verão 2014. Até março do próximo ano, 1.140 guarda-vidas atuarão nas praias fluminenses. Somente em Niterói e Maricá serão 160 homens especializados em salvamento marítimo. Os militares atuarão ainda na recuperação de crianças perdidas. Houve reforço nos equipamentos de salvamento utilizado pelos bombeiros.

Os grupamentos marítimos (G-Mar) serão equipados com 39 novas motos aquáticas, do tipo Jet Ski; com 12 novos quadriciclos e 18 novos botes aquáticos. Além disso, haverá um acréscimo de 50% no efetivo de guarda-vidas, com mais 1.140 militares qualificados que atuarão nas praias até março. Para realizar esse trabalho, os oficiais receberão uma gratificação de R$ 1 mil mensais durante o período.

A Operação Verão também conta com a ajuda de cerca de 250 voluntários da Cruz Vermelha Brasileira (CVB), que se dividirão entre socorristas, que auxiliarão os bombeiros nos primeiros-socorros realizados na areia, psicólogos, que conversarão com as crianças que estiverem perdidas. Agentes da CVB estarão na entrada das praias colocando pulseiras de identificação nas crianças que chegarem com as famílias. O objetivo é evitar que elas se percam.

De acordo com tenente-coronel Marcelo Pinheiro, comandante do 3º Grupamento Marítimo, em Copacabana, acidentes podem ser evitados pelas pessoas, tomando-se as seguintes precauções: ao chegar à praia, procure localizar as placas e bandeiras de segurança. Elas indicam as áreas de maior risco, indicando as direções de correntezas e condições do mar; em caso de dúvida, consulte o guarda-vidas; ele é preparado para orientar os banhistas sobre quais os melhores e mais seguros locais para ficar; evite ingerir bebidas alcoólicas antes e depois mergulhar, esse é um dos grandes fatores que causam o afogamento; se estiver no mar, com quaisquer dificuldades para sair, não deixe de acenar e pedir socorro. Muitas pessoas, por vergonha de pedir ajuda, acabam agravando o caso e se afogando sem necessidade. Se estiver com crianças, a atenção deve ser redobrada.

A TRIBUNA

Posts Relacionados

Editoriais: